Tempo de Parar

 

Em um mundo ideal, podemos estar conscientes do potencial de santidade que existe em cada momento do dia. Precisamos tentar alcançar esse ideal nas muitas oportunidades que encontramos de abençoar a nossa vida diária. Contudo, no mundo real, o negócio da vida – a correria da vida – simplesmente parece nos distrair de nossas conexões mais profundas.

Na realidade, isso não é culpa da rotina diária, e pode nem mesmo ser culpa do nosso trabalho. Ao invés disso, da nossa falha em atentarmos para aquilo que de fato é mais importante, e aquilo que simplesmente atrapalha.

De alguma forma consideramos, nas palavras do poeta, que o mundo é excessivo conosco: obtendo e gastando, nós desperdiçamos os nossos poderes. Portanto, para nós retornarmos para um senso de equilíbrio, para nos ajudar a reobter nossa perspectiva, nos é dada uma oportunidade de pausarmos – uma chance de sair da nossa ocupação com o mundo e, ao invés disso, apreciar a nossa estadia no mundo.

Este é o Sábado, o dia de descanço. Este é o dia no qual as rotinas de trabalho são abandonadas e o tempo parece se tornar uma dimensão diferente. Do pôr-do-sol de sexta até as primeiras estrelas de sábado à noite, nós desconectamos os nossos relógios ordinários que governam as nossas vidas e desmontamos os nossos sistemas diários de comunicação.  Na ausência deles, o tempo corre como um bálsamo, a medida em que nos concentramos na consciência da solidão e celebramos em comunidade, nos deleitando em toda a criação.

Um pequeno poema para recordarmos: Hoje, sexta à tarde, eu desconecto os relógios e telefones

Quando a noite preenche a minha casa com passagens bíblicas
“Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.” (Êxodo 20 : 8)

“E ele disse-lhes: Isto é o que o SENHOR tem dito: Amanhã é repouso, o santo sábado do SENHOR; o que quiserdes cozer no forno, cozei-o, e o que quiserdes cozer em água, cozei-o em água; e tudo o que sobejar, guardai para vós até amanhã.” (Êxodo 16 : 23)

“Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.” (Êxodo 20 : 10)

“Porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o SENHOR o dia do sábado, e o santificou.” (Êxodo 20 : 11)

“Tu, pois, fala aos filhos de Israel, dizendo: Certamente guardareis meus sábados; porquanto isso é um sinal entre mim e vós nas vossas gerações; para que saibais que eu sou o SENHOR, que vos santifica.” (Êxodo 31 : 13)

“Portanto guardareis o sábado, porque santo é para vós; aquele que o profanar certamente morrerá; porque qualquer que nele fizer alguma obra, aquela alma será eliminada do meio do seu povo.” (Êxodo 31 : 14)

“E no dia de sábado saímos fora das portas, para a beira do rio, onde se costumava fazer oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que ali se ajuntaram.” (Atos 16 : 13)

“Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados,” (Colossenses 2 : 16)

“É um sábado de descanso para vós, e afligireis as vossas almas; isto é estatuto perpétuo.” (Levítico 16 : 31)

 

Por Marcia Falk

www.evangelizacaopessoal.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s